A Caixa rumo ao campo

Por: Patricia Alves e Fernando Teixeira

Banco estatal vai abrir linhas de financiamento para o agronegócio. A meta é emprestar R$ 2 bilhões só no primeiro ano

A Caixa rumo ao campo
"O agronegócio vem crescendo a taxas de dois dígitos nos últimos anos" Jorge Hereda, presidente da Caixa Abiane de Paula/Diario do Nordeste

Tradicional reduto do Banco do Brasil, o crédito rural vai ganhar um concorrente de peso. E justamente da área estatal. Turbinada pela capitalização de R$ 13 bilhões, anunciada pelo Ministério da Fazenda no dia 21 de setembro, a Caixa Econômica Federal vai lançar as primeiras sementes para financiar o agronegócio. “Ao longo dos próximos 12 meses deveremos conceder R$ 2 bilhões em empréstimos por meio do crédito rural”, diz Jorge Hereda, presidente da Caixa. “O funding virá dos depósitos à vista.”

As metas são ambiciosas: o plano de expansão da Caixa contempla a abertura de cerca de duas mil novas agências, quase dobrando a rede atual de 2.412 pontos, a maioria delas localizada em cidades médias e pequenas. “Vamos ampliar nossa rede onde o agronegócio é forte”, diz. ”Os clientes que queremos conquistar nessas regiões pedem financiamentos rurais”, diz Hereda. Desde o dia 12 de setembro, a Caixa vem operando um projeto piloto em cerca de 70 agências, e daqui para a frente essa experiência deverá ser estendida a mais agências. Atualmente, 90 gerentes estão sendo capacitados na nova modalidade. "Nenhum banco com a capilaridade da Caixa pode se dar ao luxo de não ter todos os produtos”, afirma Hereda. O maior apetite da Caixa vem ao encontro de uma injeção reforçada de recursos no campo. Segundo o Ministério da Agricultura, o governo vai liberar R$ 115,2 bilhões para a agricultura empresarial, por meio do Plano Safra 2012/2013, sem contar os R$ 18 bilhões concedidos ao Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Desses recursos, R$ 86,9 bilhões serão destinados ao custeio e à comercialização. Outros R$ 28,2 bilhões vão para investimentos.

Para alcançar tal cifra, o governo não apenas aumentou a dotação orçamentária como também reduziu em 18,5% os encargos financeiros de suas linhas de crédito para custeio, comercialização e investimento. “Mesmo com o aumento, o valor ainda é insuficiente”, diz Walmir Segatto, superintendente de agronegócios do Banco Santander. Para Segatto, a necessidade de financiamento para a safra 2012/2013 é de R$ 200 bilhões. “A diferença deve ser financiada por linhas suplementares.” Ele cita como exemplo o financiamento pela Cédula de Produto Rural (CRP). O título permite que o agricultor tome dinheiro emprestado, com a garantia da produção futura.

Já o Banco do Brasil aposta na tecnologia. Por meio de uma família de cartões de crédito voltada para o empresário do agronegócio, o banco financia a aquisição de insumos, maquinário e implementos agrícolas. Segundo o banco, até o fim de 2012 a previsão é de que cerca de R$ 11 bilhões em créditos rurais sejam liberados por meio dos cartões, um crescimento de 47%. Pelos dados do primeiro semestre, em junho de 2012 o BB tinha emprestado R$ 94,8 bilhões, um crescimento de 17,6% em relação ao saldo de junho de 2011. O resultado superou a meta, de um crescimento entre 13% e 16% nessa carteira.

Para Segatto, a demanda por crédito rural não deve se restringir ao plantio e à colheita, pois com três anos de resultados muito bons o produtor tem dinheiro em caixa para investir na modernização de suas máquinas. Trata-se de algo que não passou despercebido a Hereda. “O agronegócio vem crescendo a taxas de dois dígitos nos últimos anos, daí a importância de lançarmos esse produto”, afirma o presidente da Caixa. “Mas não vamos competir com o BB como banco agrícola. Nosso forte continuará sendo o financiamento imobiliário.”

DINHEIRO RURAL ONLINE

+ mais notícias

04:3201 Ago 2014

SEÇÕES

INDICES ECONÔMICOS

Outros

Símbolo Nome Última tran. Variação
IBOV Ibovespa (IND) 53616,00 +0.58%
CCO Nasdaq Composite Index ( DT) 3715,97 -0.24%
IBXL Ibrx 50 (IND) 8725,68 +0.54%
DJI Dow Jones Industrial Average - EUA 15300,64 -0.17%
IEEX Ieeletrica (IND) 26868,89 +0.26%
UKX FTSE 100 Index 6588,98 +0.01%
ISEE Isustentabil (IND) 2480,29 +0.28%
DAX DAX XETRA Frankfurt Stock Exch (DT) 8494,00 -0.02%
CAC&FR; CAC-40 Paris Index - FRANCE (DT) 3711,64 -0.99%
INSP&GB; IBEX 35-Madrid Stock Exch. - Spain (DT) 7900,40 -1.13%
INHK&GB; H.Seng-H.Kong Exch. - China (DT) 22464,82 +0.69%
CAC&ampFR; CAC-40 Paris Index - FRANCE (DT) 4106,63 -0.30%
INSP&ampGB; IBEX 35-Madrid Stock Exch. - Spain (DT) 8924,20 +0.55%
INHK&ampGB; H.Seng-H.Kong Exch. - China (DT) 22953,72 +0.07%

Última atualização: 1 de Agosto de 2014 às 04:30

Fechar X
Símbolo Nome Última transação Compra Venda Variação
DOL COM Dolar Comercial 2,03 2,03 2,03 -0.19
DOL PSP Dolar Paralelo SP 2,17 1,94 2,17 -0.45
PTAX850 Dolar PTAX Venda - BACEN 2,03 2,03 2,03 -0.03
PTAX800 Dolar PTAX Compra - BACEN 2,03 2,03 2,03 -0.03
DOLTR Dolar Turismo SP 2,17 1,94 2,17 -0.45
BCEUR RS Real/Euro - BACEN 2,71 2,71 2,72 +0.06
BCEUR USD/Euro - BACEN 1,34 1,34 1,34 +0.09
EUROCOM Euro Comercial 2,72 2,71 2,72 -0.11
EUROBRL Euro X Real 0,37 0,37 0,37 +0.02
RESERVA USS Reservas BACEN em USD 378,46 0,00 0,00 -0.04
HOT MONEY Hot Money 3,03 0,00 0,00 +0.00
SWAP 30D Swap CDI x Tx Pre - 30 dias 6,93 0,00 0,00 +0.14
SWAP 60D Swap CDI x Tx Pre - 60 dias 6,97 0,00 0,00 +0.14
EXPNOT 30 Export Notes 30 dias 4,44 4,43 4,44 +0.00

Última atualização: 1 de Agosto de 2014 às 04:30

Símbolo Nome Variação Última transação
SELIC ANO Taxa Selic Ano +0.00 7,11
SELIC OVER Taxa SELIC - Over +0.00 0,82
TXEFEANBID A Taxa de Juros de Referencia -0.14 6,97
TJLP ANO Taxa de Juros Longo Prazo Ano +0.00 5,00
CAPGIRO 30 Capital de Giro Bancos 30 dias +0.22 8,87
DESC DUPLICATA Desc Dupl Tx Efetiva 30 dias +0.00 0,64
CDI OVER CDI Over - Cetip +0.14 0,80
CDI ANO CDI Ano - CETIP +0.00 6,92
BTNF DIA Bonus Tesoura Nacional +0.00 1,57
CDB 60D CDB - Pre 60 dias +0.14 6,97
POUP MES Poupanca - Mes +0.00 0,50
TR DIA Taxa Referencial dia +0.00 0,00
CDIACUM MES CDI Acumulado Mes +0.02 1,00
CDBPRE 30 CDB Pre 30 dias p/ R$1 mi +0.30 6,61
POUP DIA Poupanca em D+0 +0.00 0,50
POUP D+1 Poupanca em D+1 +0.00 0,50
UMBNDES DIA Fator Correcao-Repasses BNDES -0.11 0,04
IGPM ANO IGPM ANO - FGV +0.00 7,82
IGPM MES IGPM MES - FGV +0.00 0,68
INPC ANO INPC % Ano IBGE +0.00 6,20
IPCDI ANO IPC-DI % ano - FGV +0.00 5,74
IPCDI MES IPC-DI % mes - FGV +0.00 0,66
NUCI FGV S_AJU Nivel Utilizacao Cap Inst S/Ajuste +0.00 84,80
TXDES IBGE Tx desemprego SP IBGE +0.00 5,30
IPCA ANO IPCA % ano - IBGE +0.00 5,84

Última atualização: 1 de Agosto de 2014 às 04:30

None