De olho na safra de 2014

Por: Daniel Popov

O Brasil deve tirar do campo, no ano que vem, a maior colheita de soja de sua história e, de quebras, ultrapassar os EUA como o principal produtor mundial

Foi dada a largada para o plantio da safra 2013/2014 de grãos no Brasil. Mas, ao contrário de anos anteriores, quando as expectativas ficavam em torno da quebra de recordes na produção de grãos, as atenções estão voltadas para a lavoura de soja, que deve atingir a casa dos 88 milhões de toneladas e, enfim, ultrapassar a safra americana prevista de 85 milhões de toneladas. Na safra 2012/2013, encerrada em julho, o Brasil chegou perto de tornar-se o maior produtor mundial da oleaginosa. Mas, com perdas de safra provocadas pela seca no Nordeste e pelo excesso de chuvas no sul do País, a produção nacional foi de 81,4 milhões de toneladas, 0,7% menor que a americana. “A produção de soja deve crescer em cima de áreas de pastagens e milho”, diz Glauber Silveira, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja). “Só um desastre tiraria essa liderança do País.” Além da soja, de acordo com os especialistas do setor, o algodão deve ser o destaque positivo e o milho, o negativo.

Os elevados preços pagos pela saca de soja no mercado internacional são o combustível para a corrida dos agricultores brasileiros pela ampliação da produção. Desde o ano passado, quando a cotação da soja superou os R$ 80 por saca de 60 quilos, os preços da commodity têm se mantido bem acima dos valores históricos de R$ 40 por saca, e isso não deve mudar no ano que vem, afirma Silveira. “a forte demanda pelo grão deve manter os preços acima de R$ 60 por saca”, diz o presidente da Aprosoja. “A valorização do dólar frente ao real é outro atrativo importante.” Segundo Silveira, a área de plantio de soja deve crescer cerca de 6%, alcançando 29,3 milhões de hectares, ante os 27,7 milhões de hectares no período anterior. A cultura vai expandir o cultivo em cima do milho de verão no Paraná e no Rio Grande do Sul, e com a absorção de terras de pastagens, em Mato Grosso, já que a área de algodão, que é plantada no mesmo tempo da soja, também deve crescer. “A expectativa é de que o algodão também terá preços mais atrativos”, diz Silveira.

Na cotonicultura, a expectativa do mercado para a nova safra é de uma produção 3,5% maior, alcançando 3,3 milhões de toneladas, contra os 3,2 milhões de toneladas colhidas em 2012/2013. No entanto, esse resultado ainda se mantém aquém dos volumes históricos de 6 milhões de toneladas produzidas no Brasil antes da crise econômica mundial. Segundo Amaryllis Romano, sócia da consultoria paulista Tendências, a safra 2012/2013 já vinha de uma queda expressiva na produção de algodão de 33%, e o pequeno aumento previsto para a próxima colheita não deve interferir nas cotações da cultura no mercado internacional. “Será um período de boa margem de lucro para os produtores”, diz Amaryllis.

Já a produção de milho deve se reduzir, em decorrência da recuperação e da expansão esperadas na safra americana, que pode superar a casa dos 350 milhões de toneladas. De acordo com Amaryllis, como os produtores brasileiros já ficaram desconfiados com os valores 10% menores obtidos neste ano, e com o volume maior produzido pelos EUA, que tende a derrubar ainda mais a cotação internacional do cereal, optaram por diminuir a área plantada. Com isso, a produção brasileira de milho, que chegou a 81,3 milhões de toneladas em 2012/2013, pode cair para 79 milhões de toneladas. “Mesmo assim, acredito que a safra de grãos brasileira possa crescer pelo menos 2% no próximo ano”, afirma Amaryllis. “Vamos ultrapassar 190 milhões de toneladas.”

Em meio à euforia dos produtores, Leonardo Machado, assessor técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), alerta que, além da preocupação natural com o clima, é necessário redobrar os cuidados com a forte incidência de três pragas de difícil controle: a lagarta helicoverpa, a mosca branca e a ferrugem asiática, que afetam a produtividade de culturas como a soja e o milho. “É importante o agricultor se precaver e fazer o tratamento correto das culturas”, diz Machado. “Assim, ele evitará prejuízos maiores.” De acordo com dados da Embrapa, só com a ferrugem da soja, descoberta em 2001, as perdas dos produtores rurais podem chegar a US$ 20,8 bilhões.

DINHEIRO RURAL ONLINE

+ mais notícias

14:0423 Ago 2014

SEÇÕES

INDICES ECONÔMICOS

Outros

Símbolo Nome Última tran. Variação
IBOV Ibovespa (IND) 53616,00 +0.58%
CCO Nasdaq Composite Index ( DT) 3715,97 -0.24%
IBXL Ibrx 50 (IND) 8725,68 +0.54%
DJI Dow Jones Industrial Average - EUA 15300,64 -0.17%
IEEX Ieeletrica (IND) 26868,89 +0.26%
UKX FTSE 100 Index 6588,98 +0.01%
ISEE Isustentabil (IND) 2480,29 +0.28%
DAX DAX XETRA Frankfurt Stock Exch (DT) 8494,00 -0.02%
CAC&FR; CAC-40 Paris Index - FRANCE (DT) 3711,64 -0.99%
INSP&GB; IBEX 35-Madrid Stock Exch. - Spain (DT) 7900,40 -1.13%
INHK&GB; H.Seng-H.Kong Exch. - China (DT) 22464,82 +0.69%
CAC&ampFR; CAC-40 Paris Index - FRANCE (DT) 4106,63 -0.30%
INSP&ampGB; IBEX 35-Madrid Stock Exch. - Spain (DT) 8924,20 +0.55%
INHK&ampGB; H.Seng-H.Kong Exch. - China (DT) 22953,72 +0.07%

Última atualização: 23 de Agosto de 2014 às 14:00

Fechar X
Símbolo Nome Última transação Compra Venda Variação
DOL COM Dolar Comercial 2,03 2,03 2,03 -0.19
DOL PSP Dolar Paralelo SP 2,17 1,94 2,17 -0.45
PTAX850 Dolar PTAX Venda - BACEN 2,03 2,03 2,03 -0.03
PTAX800 Dolar PTAX Compra - BACEN 2,03 2,03 2,03 -0.03
DOLTR Dolar Turismo SP 2,17 1,94 2,17 -0.45
BCEUR RS Real/Euro - BACEN 2,71 2,71 2,72 +0.06
BCEUR USD/Euro - BACEN 1,34 1,34 1,34 +0.09
EUROCOM Euro Comercial 2,72 2,71 2,72 -0.11
EUROBRL Euro X Real 0,37 0,37 0,37 +0.02
RESERVA USS Reservas BACEN em USD 378,46 0,00 0,00 -0.04
HOT MONEY Hot Money 3,03 0,00 0,00 +0.00
SWAP 30D Swap CDI x Tx Pre - 30 dias 6,93 0,00 0,00 +0.14
SWAP 60D Swap CDI x Tx Pre - 60 dias 6,97 0,00 0,00 +0.14
EXPNOT 30 Export Notes 30 dias 4,44 4,43 4,44 +0.00

Última atualização: 23 de Agosto de 2014 às 14:00

Símbolo Nome Variação Última transação
SELIC ANO Taxa Selic Ano +0.00 7,11
SELIC OVER Taxa SELIC - Over +0.00 0,82
TXEFEANBID A Taxa de Juros de Referencia -0.14 6,97
TJLP ANO Taxa de Juros Longo Prazo Ano +0.00 5,00
CAPGIRO 30 Capital de Giro Bancos 30 dias +0.22 8,87
DESC DUPLICATA Desc Dupl Tx Efetiva 30 dias +0.00 0,64
CDI OVER CDI Over - Cetip +0.14 0,80
CDI ANO CDI Ano - CETIP +0.00 6,92
BTNF DIA Bonus Tesoura Nacional +0.00 1,57
CDB 60D CDB - Pre 60 dias +0.14 6,97
POUP MES Poupanca - Mes +0.00 0,50
TR DIA Taxa Referencial dia +0.00 0,00
CDIACUM MES CDI Acumulado Mes +0.02 1,00
CDBPRE 30 CDB Pre 30 dias p/ R$1 mi +0.30 6,61
POUP DIA Poupanca em D+0 +0.00 0,50
POUP D+1 Poupanca em D+1 +0.00 0,50
UMBNDES DIA Fator Correcao-Repasses BNDES -0.11 0,04
IGPM ANO IGPM ANO - FGV +0.00 7,82
IGPM MES IGPM MES - FGV +0.00 0,68
INPC ANO INPC % Ano IBGE +0.00 6,20
IPCDI ANO IPC-DI % ano - FGV +0.00 5,74
IPCDI MES IPC-DI % mes - FGV +0.00 0,66
NUCI FGV S_AJU Nivel Utilizacao Cap Inst S/Ajuste +0.00 84,80
TXDES IBGE Tx desemprego SP IBGE +0.00 5,30
IPCA ANO IPCA % ano - IBGE +0.00 5,84

Última atualização: 23 de Agosto de 2014 às 14:00

None